“Wynonna Earp só cresceu mesmo depois da grande adesão da comunidade LGBT”

Postado: 19 jul 2018 | 0 comentários

A frase é do professor Henry Jenkins da Universidade do Sul da Califórnia e um dos principais acadêmicos a estudar os fã-clubes segundo “O Globo”. A matéria cita a produtora executiva da série Wynonna Earp, a atriz Melanie Scrofano e fãs famosos como Kevin Bachelder e Bonnie Ferrar, apresentadores do podcast Tales of the Black Badge (podcast sobre os episódios de Wynonna Earp).

Waverly e Nicole

O texto também fala que o casal #WayHaught apareceu mais ou menos na mesma época que as fãs estavam revoltadas com a morte de outras personagens lésbicas/bissexuais, em outras séries. Apesar da desconfiança do público, se esse não seria mais um casal fadado à morte, levando suas fãs da comunidade LGBT novamente ao luto. Foi quando a produtora do show, Emily Andras então tomou uma atitude inesperada, segundo o jornal O Globo, Emily contou a Bridget Liszewski, editora do site The TV Junkies, e a outros profissionais de imprensa que Waverly e Nicole sobreviveriam à primeira temporada, e os roteiristas espalharam a notícia várias semanas antes do final da temporada.

 

Para ler a matéria inteira:  ‘Wynonna Earp’: faroeste de terror vira fenômeno ao apostar em personagens LGBT

Receba dicas e novidades

0 Comentários

Deixe o seu comentário!